Ateliê Karol Poerner - Recursos Bíblicos Didáticos

Conheça toda linha de Recursos Bíblicos Didáticos clicando aqui.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Permanecendo firme em Cristo Jesus_Testemunho na vida escolar da Eduarda Karolina com 7 anos


Toda pessoa que entrega sua vida a Cristo passa a não mais viver para si, mas sim permite, faz a escolha de deixar Jesus Cristo viver através de sua vida. (Gálatas 2.19,20)
Chega um momento na vida de todo aquele que entregou sua vida a Jesus Cristo de decisões a serem feitas, escolha entre a Porta Estreita (Jesus) e a Porta Larga (Mundo). 
Sabia que na vida da Criança que entrega sua vida a Jesus não é diferente?
Minha filha Eduarda entregou sua vida a Jesus com seus 6 aninhos e desde então ela passou a dar os primeiros passos na sua vida diária de cristã.
Na última quarta - feira (dia 26/08/15) Eduarda voltou da escola com seu semblante triste me explicando que algumas meninas de sua sala fizeram um grupo e que então duas coleguinhas que costumavam a brincar com ela a deixaram e foram fazer parte do tal grupo. 
Eduarda por não concordar com as atitudes erradas que as crianças a chamam para praticar tem sido desprezada há um tempo.  Com a formação do tal grupinho em sala de aula pelas meninas, mais uma vez a rejeição, o desprezo foi experimentado pela Eduarda.
Não estou aqui querendo dizer que minha filha não peque, ou não erre, mas como aprendemos na Palavra de Deus, ela tem sido ensinada a lutar contra as vontades erradas da sua carne e o pecado. (Gálatas 5.16) Sendo assim, quando a Eduarda percebe que algo que as crianças a chamam para participar está fora da vontade, do agrado de Deus, ela tem procurado alertá-los.
Praticar sua fé em Cristo Jesus não tem sido fácil para minha filha Eduarda, de apenas 7 anos.
Depois de ver minha filha chorar muito com a dor da rejeição e fazer algumas indagações, tais como:
"- Mãe é difícil ser cristã!"
"- Eu só queria ter um coleguinha para brincar!"
Segurei as minhas lágrimas e procurei atentamente ouvir tudo o que minha filha tinha para dizer. Quando Eduarda terminou eu e meu esposo conversamos com ela rapidamente que iríamos estar orando sobre o assunto, pois estávamos de saída para o Culto.
Confesso que meu coração ficou tão doído com aquela situação que quase desisti de ir ao culto naquela 4ª feira. Mas, eu pensei que não existia melhor lugar para se estar naquele momento do que na presença do Senhor buscando a direção de Deus para poder aconselhar minha pequena.
À noite, quando voltamos do Culto da Família na Igreja e fizemos a Oração de Agradecimento pelo dia colocamos diante do Senhor aquela situação pedindo que Deus operasse na vida da Eduarda, dando-lhe forças para vencer a dor da rejeição e que Deus abençoasse a vida de cada uma das crianças envolvidas na questão do grupo.
No dia seguinte, orando pela manhã pedi que o Senhor me desse uma Palavra para compartilhar com minha filha e que viesse servir de encorajamento para ela.
O Senhor trouxe ao meu coração duas passagens bíblicas:
Isaías 53.3 e João 16.32
Eu fui conversando com minha filha que Jesus entendia perfeitamente a dor que ela estava sentindo, pois Ele mesmo já tinha passado por algo semelhante. Mostrei a Eduarda que a dor que Jesus havia enfrentado tinha sido muito pior e Ele, com a ajuda do Pai, suportou.
Quando Eduarda pegou sua mochila para ir à escola lhe dei um abraço e disse para ela confiar no Senhor porque daria tudo certo.
Passei a tarde da 5ª feira (dia 27/08/15) em meio aos meus afazeres pensando na minha filha crendo que Deus estava no controle de tudo. Não foi fácil!
Eu e meu esposo fomos buscar a Eduarda na escola e perguntei como havia sido. Então, a conversa foi mais ou menos assim:
"-Mãe, eu cheguei na escola e falei com a "dona do grupo" que eu não ia participar de grupo nenhum e que podia tirar meu nome da lista. Daí a Mariazinha (nome fictício) falou que eu era muito legal e que se eu não ia participar do grupo ela também não iria. A Josefina (nome fictício) disse que se eu e a Mariazinha íamos sair do grupo ela ia sair também."
Você pode imaginar o que aconteceu, não é mesmo? O grupo da exclusão, onde só alguns podiam participar, não conseguiu ir a frente.
Eu jamais imaginei que isso pudesse acontecer. Vimos o Senhor agir prontamente nesta situação.
Para muitos adultos pode ser um monte de asneiras esse acontecido que estou narrando nessa postagem, mas no meu entendimento, assim como nós adultos temos batalhas em nossas vidas e precisamos vencê-las com as crianças não é diferente!
AS CRIANÇAS CRISTÃS PRECISAM DE ENCORAJAMENTO! 
É duro precisarmos ensinar as nossas crianças ser diferentes da maioria, mas é melhor que elas aprendam o quanto antes, pois nos anos vindouros elas precisam estar com uma boa estrutura espiritual para vencer os desafios na jornada da vida, por amor a Cristo.


"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento,..." Romanos 12.2


"Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos;
Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;
Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo." 
2ª Timóteo 2.11-13

Um comentário:

  1. Glória a Deus!!!!!

    Até a criança mostra o que é por suas ações; o seu procedimento revelará se ela é pura e justa. (Pv. 20:11)

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua Visita ao meu blog!
Se o seu comentário necessita de resposta deixe seu e-mail para que eu possa lhe retornar.
"..., mas aqueles que buscam ao Senhor de nada têm falta."
Salmo 34.10b

POSTAGENS MAIS VISITADAS