Ateliê Karol Poerner - Recursos Bíblicos Didáticos

Conheça toda linha de Recursos Bíblicos Didáticos clicando aqui.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

JESUS SOBE AO CÉU_FIGURAS

À pedido da irmã Elisa estou postando estes desenhos sobre A Ascensão de Jesus Cristo.

MARIA E ISABEL ESCOLHIDAS PELO SENHOR_VISUAIS PARA COLORIR

No mês de Dezembro/2009 estaremos ensinando as crianças sobre "LOUVORES AO REI JESUS". Os mais diversos louvores que o Senhor Jesus recebeu de diversas pessoas. Confira o conteúdo deste Planejamento aqui :
http://karolpoerner.blogspot.com/search/label/PLANJ.%20LOUVORES%20AO%20REI%20JESUS

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

JESUS CHAMA MATEUS PARA SER SEU DISCÍPULO_VISUAIS COLORIDOS E ATIVIDADES

Mais 2 visuais coloridos e 2 atividades sobre a Chamada de Mateus para ser discípulo.

O NATAL E SEUS SÍMBOLOS À LUZ DA PALAVRA DE DEUS

CONHEÇA AS VERDADES SOBRE A FESTA DE “NATAL”
E SEUS SÍMBOLOS.“e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”
João 8.32
Todo ano quando chega o final do mês de Novembro e durante quase todo o mês de Dezembro vemos os preparativos para essa festa chamada “Natal”, onde muitos dizem ser a Comemoração do Nascimento de Jesus. Mas será que há espaço para Jesus ser lembrado, já que são tantos símbolos diferentes!
Conheça agora a origem de alguns desses símbolos e veja como eles nada tem haver com o Nascimento do nosso Salvador Jesus Cristo:
A ORIGEM DA FESTA “NATAL”O Natal é a principal tradição do sistema corrupto denunciado inteiramente nas profecias e instruções bíblicas sobre o nome de Babilônia.
Seu início e origem surgiu na antiga Babilônia de Ninrode, e suas raízes datam de épocas imediatamente posterior ao dilúvio. Ninrode, neto de Cão, filho de Noé, foi o verdadeiro fundador do sistema babilônico que até hoje domina o mundo – Um Sistema de Competição Organizado - de impérios e governos pelo homem, baseado no sistema econômico de competição e de lucro. Ninrode construiu a Torre de Babel, a Babilônia primitiva, a antiga Nínive e muitas outras cidades. Ele organizou o primeiro reino deste mundo. O nome Ninrode, em Hebraico, deriva de "Marad" que significa "ele se rebelou, rebelde". Sabe-se bastante de muitos documentos antigos que falam deste indivíduo que se afastou de Deus. O homem que começou a grande apostasia profana e bem organizada, que tem dominado o mundo até hoje. Ninrode era tão perverso que se diz que casou-se com sua mãe, cujo nome era Semíramis. Depois de sua morte prematura, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. Todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore "sempre viva" e deixava presentes nela. O dia de aniversário de Ninrode era 25 de dezembro, esta é a verdadeira origem da "Árvore de Natal". Por meio de suas artimanhas e de sua astúcia, Semíramis converteu-se na "Rainha do Céu" dos Babilônicos, e Ninrode sob vários nomes, converteu-se no "Divino Filho do Céu". Por gerações neste culto idólatra, Ninrode passou a ser o falso Messias, filho de Baal: o deus-Sol. Nesse falso sistema babilônico, "a mãe e a criança" ou a "Virgem e o menino" (isto é, Semíramis e Ninrode redivivo), transformaram-se em objetos principais de adoração. Esta veneração da "virgem e o menino" espalhou-se pelo mundo afora; o presépio é uma continuação do mesmo, em nossos dias, mudando de nome em cada país e língua. No Egito, [Semíramis e Ninrode] chamavam-se Isis e Osíris; na Ásia Cibele e Deois, na Roma pagã Fortuna e Júpiter, até mesmo na Grécia, China, Japão e Tibete encontra-se o equivalente da Madona (minha dona ou minha senhora), ou na América do Sul, deusa-mãe virgem Caraíba – tudo isso muito antes do nascimento de Jesus Cristo. Portanto, durante os séculos quarto e quinto, quando centenas de milhares de pagãos do mundo romano adotavam o novo "cristianismo popular" levando consigo as antigas crenças e costumes pagãos, cobrindo-os sobre nomes cristãos, popularizou-se também a idéia da "virgem e o menino". Maria, após o nascimento de Jesus, manteve relações íntimas com seu marido, segundo as Escrituras – Mt 1:25 E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus. Dizer que ela permaneceu virgem é um reflexo claro desta doutrina satânica pagã, especialmente, durante a época do Natal. Os postais de Natal, as decorações e representações, do presépio, as músicas da noite de Natal, como seu tema Noite Feliz, repetem ano após ano esse tema popular da virgem e o menino nas famosas Cantatas de Natal. No Egito sempre se acreditava que o filho de Isis (nome egípcio da Rainha do Céu – Jr 44) nascera em 25 de dezembro. O mundo pagão celebrava essa famosa data de nascimento, na maior parte do mundo conhecido de então, muitos séculos antes do nascimento de Cristo. Autoridades históricas demonstram que, durante os primeiros 3 séculos da nossa era, os cristãos não celebraram o Natal. Esta festa só começou a ser introduzida após o início da formação daquele sistema que hoje é conhecido como Igreja Romana (isto é, no século IV). Somente no século V foi oficialmente ordenado que o Natal fosse observado para sempre, como festa cristã, no mesmo dia da secular festividade romana em honra ao nascimento do deus Sol, já que não se conhecia a data exata do nascimento de Cristo. O próprio Jesus, os apóstolos, e a igreja, nunca celebraram o nascimento de Cristo em nenhuma época, na Bíblia não há mandamento ou instrução alguma para celebrar, todavia somos ordenados a lembrar sim de sua morte e ressurreição que nos proporcionou a Vida. (1Coríntios 11:24-26) Mas, os antigos "Mistérios babilônicos" idólatras iniciados pela esposa de Ninrode, têm sido transmitido de geração em geração pelas religiões pagãs e continua sob novos nomes de aparência Cristã. A celebração do Natal antecede o cristianismo em cerca de 2000 anos. Na Suméria, o festival simbolizava a passagem de um ano para outro, o Zagmuk. Para os mesopotâmios, o Ano Novo representava uma grande crise, devido à chegada do inverno, eles acreditavam que os monstros do caos, liderados por Cthulu, enfureciam-se e Marduk, o seu principal deus, precisava derrotá-los para preservar a continuidade da vida na Terra. O festival de Ano Novo, que durava 12 dias, era realizado para ajudar Marduk em sua batalha. A tradição dizia que o rei devia morrer no fim do ano para, ao lado de Marduk, ajudá-lo em sua luta. Para poupar o rei, um criminoso era vestido com as suas roupas e tratado com todos os privilégios do monarca, sendo morto levava todos os pecados do povo consigo, assim, a ordem era restabelecida. Um ritual semelhante era realizado pelos persas e babilônios, e até nas américas. Chamado de Sacae no oriente, a versão também contava com escravos que tomavam o lugar dos seus mestres. A Mesopotâmia, chamada de mãe da civilização, inspirou a cultura de muitos povos, como os gregos, que englobaram as raízes do festival, celebrando a luta de Zeus contra o titã Cronos. Mais tarde, através da Grécia, o costume alcançou os romanos, sendo absorvido pelo festival chamado Saturnalia (em homenagem a Saturno). A festa começava no dia 17 de dezembro e ia até o 1º de Janeiro, comemorava-se o solstício do inverno. De acordo com seus cálculos, o dia 25 era a data em que o Sol se encontrava mais fraco, porém pronto para recomeçar a crescer e trazer vida às coisas da Terra. Durante a data, que acabou conhecida como o Dia do Nascimento do Sol Invicto, as escolas eram fechadas e ninguém trabalhava, eram realizadas festas nas ruas, grandes jantares eram oferecidos aos amigos e árvores verdes - ornamentadas com galhos de loureiros e iluminadas por muitas velas - enfeitavam as salas para espantar os maus espíritos da escuridão. Os mesmos objetos eram usados para presentear uns aos outros. Apenas após a cristianização do Império Romano, o 25 de dezembro passou a ser a celebração do nascimento de Cristo. A maior parte dos historiadores afirma que o primeiro Natal como conhecemos hoje foi celebrado no ano 336 d.C.. A troca de presentes passou a simbolizar as ofertas feitas pelos três reis magos ao menino Rei Jesus, assim como outros rituais também foram adaptados do paganismo para o pseudo cristianismo
OS SÍMBOLOS DO NATAL E SUAS VERDADEIRAS ORIGENS
 
VELAS 

As velas, símbolo tradicional do Natal, são uma velha tradição pagã, pois se acendiam ao ocaso para reanimar ao deus sol, quando este se extinguia para dar lugar à noite. Acendê-las constituem um ritual pagão dedicado aos deuses ancestrais; a vela acesa está fazendo renascer o ritual dos solstícios, mantendo vivo o deus sol. Dentro das escolas que estudam o paganismo as velas são chamadas de demônios; é uma simbologia de “manter os demônios vivos”. As velas não têm relação alguma com as luzes do candelabro judaico - Menorah. As velas consagradas a demônios são de base perigosa. Estamos nos referindo às velas dos rituais profanos. Não devemos generalizar ou cair no fanatismo. Você não precisa deixar de usar velas, quando necessário (acabou a luz!), para alumiar ambientes, ou como decoração naquele jantar romântico, mas, no Natal, elas absorvem esta simbologia satânica, ainda mais vermelha! Nas encruzilhadas elas encontram-se em abundância e nos centros espíritas também, e principalmente no Natal elas assumem esta simbologia sutil, e fica estranho alguém que afirma conhecer tão bem o evangelho, ficar acendendo velas em casa...
 
ÁRVORE DE NATAL 
O que diz a Bíblia sobre a árvore de Natal? Se a Bíblia nada diz para comemorarmos o Natal, nem mesmo registra tal observância da parte dos apóstolos ou da verdadeira Igreja primitiva, ela tem algo a dizer sobre a árvore de Natal! Leia Jeremias 10:2-4. A Árvore de Natal, o mais resistente símbolo natalino, ressuscita um deus pagão chamado Ninrode e faz reviver Tamuz, o espírito natalino. No ocultismo ou nas religiões orientais, os espíritos dos antepassados são invocados por meio de uma árvore, e como sabemos que os mortos não voltam o que se manifestam são anjos decaídos A Enciclopédia Barsa, vol.11, pg. 274, diz:
"A árvore de Natal é de origem germânica, datando do tempo de São Bonifácio. Foi adotada para substituir os sacrifícios ao carvalho sagrado de Odin, adorando-se uma árvore, em homenagem ao deus-menino”.
A árvore de Natal é um símbolo de consagração, é uma fábula de chamamento de adoração a deuses babilônicos. Os babilônicos consagravam uma árvore aos pés dos deuses e a levavam para casa como aprovação desses mesmos deuses; era o símbolo do deus dentro de casa, porque não se podia fazer a réplica da imagem. Esta árvore estava relacionada a um pinheiro. O pinheiro faz parte de um ritual de adoração a Ninrode, Tamuz e a Semírames. O restante do capítulo mostra a dura exortação que Deus dá ao Seu povo. Por quê? Porque trouxe para dentro de casa um costumes de povos pagãos.

AS BOLINHAS DE ENFEITE 
Esse aparente e inocente adorno teve origem durante os cultos a Baal, já vimos que a árvore era elemento fundamental ao culto pagão, e como oferta, ofereciam-se sacrifícios humanos de crianças meninas, essas após serem mortas tinham suas pequenas cabeças (bolinhas) decepadas e penduradas na árvore.Os lacinhos que acompanham as bolinhas personificam ainda mais uma cabeça de menininha. Devido a decapitação elas se ensangüentavam e tornavam-se completamente avermelhadas; quanto maior fossem o número de cabeças penduradas, maior e mais importante era o sacrifício. (Quando eu li isso pensei: "Senhor tenha misericórdia, pois eu não sabia!" Por algumas vezes enfeitei o Ministério Infantil com essas bolinhas, não sabia a origem tão horrível que se escondia por detrás desse objeto. Agora nunca mais!!!)

A TROCA DE PRESENTES À MEIA-NOITE 
A Biblioteca Sacra, vol. 12, páginas 153-155, diz:
"A troca de presentes entre amigos é característica tanto do Natal como da Saturnália, e os cristãos seguramente a copiaram dos pagãos, como o demonstra com clareza o conselho de Tertuliano".
É mais uma perpetuação do culto a Tamuz, onde as oferendas (presentes) a ele eram colocadas por seus súditos aos pés da tal renascida árvore. E ainda hoje, a onde são colocados os presentes de natal? Aos pés da árvore, nada mudou... O costume de trocar presentes com amigos e parentes durante a época natalina não tem absolutamente nada a ver com o cristianismo! Ele não celebra o nascimento de Jesus Cristo nem O honra! Suponhamos que alguma pessoa que você estima está aniversariando. Você a honraria comprando presentes para os seus próprios amigos?... Omitiria a pessoa a quem deveria honrar?... Não parece absurdo deste ponto de vista?... Se você quer dar presente a filhos, parentes e fazer o famoso amigo secreto no fim de ano que o faça, mas não espiritualize isso, presenteei por amor e por alegria, pois bem aventurado é o que dá e dá com alegria. Observam um dia em que Cristo não nasceu, gastando muito dinheiro em presentes para parentes e amigos. Porém, anos de experiência nos ensinam que os cristãos confessos se esquecem de dar o que deviam, a Cristo e a Sua obra, no mês de dezembro. Este é o mês em que mais sofre a obra de Deus. Aparentemente as pessoas estão tão ocupadas trocando presentes natalinos que não se lembram de Cristo nem de Sua obra. Depois, durante janeiro a fevereiro, tratam de recuperar tudo o que gastaram no Natal, de modo que muitos, no que se refere ao apoio que dão a Cristo e Sua obra, não voltam à normalidade até março. Contudo, isto é precisamente o que as pessoas não fazem em todo o mundo, pois a Palavra diz que o “amor de muitos esfriará” Mt 24:12.


A GUIRLANDA
A coroa verde adornada com fitas e bolas coloridas, que enfeita as portas de tantos lares, é de origem pagã. Dela disse Frederick J. Haskins em seu livro Answer to Questions:
"A guirlanda remonta aos costumes pagãos de adornar edifícios e lugares de adoração para a festividade que se celebrava ao mesmo tempo do atual Natal. Na verdade, as guirlandas são memoriais de consagração. Em grego é stephano, em latim corona. Podem ser entendidas como enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebração memorial aos deuses, à vitalidade do mundo vegetal, celebração nos esportes, celebração das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos, etc.. Para tudo isso servia as guirlandas. Essas coroas verdes que são colocadas nas portas das casa, porque simbolizam as boas vindas, lugar de entrada. Não há uma só conotação em relação ao nascimento de Jesus. A Bíblia nunca anunciou que Jesus pede guirlandas, ou que tenha recebido guirlandas no seu nascimento, porque em Israel já era sabido que fazia parte de um ritual pagão. Só existe uma guirlanda na Bíblia e esta foi feita por Roma, para colocar na cabeça de Jesus no dia da sua morte. Não há outra guirlanda, a não ser esta de espinhos, feita como símbolo de escárnio.

O PRESÉPIO

  
O presépio é um altar a Baal, consagrado desde a antigüidade babilônica. É um estímulo à idolatria. São Francisco, no séc. XVIII, enquanto um dos líderes da Igreja Católica, instituiu o presépio para lembrar as festividades natalinas, na verdade uma convocação que leva o povo a ficar com a fé limitada ao material, ao que é palpável. Está relacionado diretamente com os rituais solstícios. Os adereços encontrados no chamado presépio são simbologias utilizadas na festa do deus sol. Se você tiver a curiosidade de ler a história cristã, verá firmemente que a influência romana é presente em quase todo o comportamento cerimonial da igreja chamada “evangélica”. As figuras utilizadas são intencionais. Por esses e outros motivos, temos que tomar posições. O presépio é um incentivo à idolatria, é uma visão pagã, obras da carne (Gálatas 5:19-22). Nas colônias inglesas, nos Estados Unidos, quando os chamados puritanos ingleses chegaram na América do Norte, fizeram tremenda resistência às festividades natalinas e levantaram sua voz em protesto com relação aos objetos utilizados no Natal. Isto porque estudaram as origens e estavam com a fé firmada só em Jesus. Os ingleses paravam nesta data em profunda reflexão intercedendo pela América do Norte e pelas nações da Terra, clamando por misericórdia porque o paganismo tinha sido inserido no meio do Cristianismo, e neste dia faziam orações e jejuns, por entenderem que os presépios eram altares consagrados, um incentivo subjetivo à idolatria. Quando os imigrantes holandeses chegaram à América do Norte, por terem tendências de viverem por símbolos e conservarem com muita veemência o "espírito natalino", trabalharam até resgatar as idolatrias do Natal. Hoje a América do Norte é uma das nações mais inclinadas às tão famosas festas natalinas. Houve um resgate dos presépios não só dentro da sociedade secular, como também da eclesiástica Hoje no Brasil, a abertura do Natal é feita com uma famosa "Missa do Galo" que envolve nada mais que plantonistas relacionados ao resgate da identidade pagã, aonde geralmente o Papa ou algum alto sacerdote dá perdão as maldições hereditárias dos fiéis. A missa é celebrada diante de um presépio, cujas figuras estão relacionadas com Babilônia e não com a realidade do Evangelho. Um culto camuflado aos deuses pagãos. É a sutileza do diabo querendo prender e tornar a fé cristã inoperante. (Esse símbolo é outro que eu passo a não utilizar mais, pois até mesmo livros e revistas evangélicas para trabalho com Crianças às vezes vem com as figuras para montagem.)
PAPAI NOEL
 É lenda baseada em Nicolau, bispo católico do século 5o. A Enciclopédia Britânica, 11ª edição, vol. 19, páginas 648-649, diz:
"São Nicolau, o bispo de Mira, santo venerado pelos gregos e latinos em 6 de dezembro... conta-se uma lenda segundo a qual presenteava ocultamente a três filhas de um homem pobre... deu origem ao costume de dar em secreto na véspera do dia de São Nicolau (6 de dezembro), data que depois foi transferida para o dia de Natal. Daí a associação do Natal com São Nicolau..."
São Nicolau, quando jovem, viajava muito, ficou a conhecer a Palestina e Egito. Por onde passava ficava na memória das pessoas devido à sua bondade e ao costume que ele tinha de dar presentes às crianças necessitadas. Conta-se que o primeiro presente que o Papai Noel deu foram moedas de ouro entregues a três meninas pobres. Quando voltou a sua cidade natal, Patara, na província de Lícia, Ásia Menor, São Nicolau foi declarado bispo da cidade de Mira. Com o tempo, o santo foi ganhando fama de fazedor de milagres, sendo esse um dos temas favoritos dos artistas medievais. Nessa época, a devoção por S. Nicolau estendeu-se para todas as regiões da Europa, tornando-o o padroeiro da Rússia e da Grécia, das associações de caridade, das crianças, marinheiros, garotas solteiras, comerciantes, penhoristas, e também de algumas cidades como Friburgo e Moscou. Milhares de igrejas européias foram-lhe dedicadas, uma delas ainda no séc. VI, construída pelo imperador romano Justiniano I, em Constantinopla (Istambul). A Reforma Protestante fez com que o culto a São Nicolau desaparecesse da Europa, com exceção da Holanda, onde sua figura persistiu como Sinterklaas, adaptação do nome São Nicolau. Colonizadores holandeses levaram a tradição consigo até New Amsterdan (a atual cidade de Nova Iorque) nas colônias norte-americanas do séc. XVII. Sinterklaas foi adotado pelo povo americano falante do Inglês, que passou a chamá-lo de Santa Claus - em português, Pai Natal. Os pais castigam a seus filhos por dizerem mentiras. Porém, ao chegar o Natal, eles mesmos se encarregam de contar-lhes a mentira de "Papai-Noel", dos "Reis Magos" e do "Menino Deus"! Por isso não é de se estranhar que, ao chegarem à idade adulta, também creiam que Deus é um mero mito.
Certo menino, sentindo-se tristemente desiludido ao conhecer a verdade acerca de Papai Noel, comentou a um amiguinho: "Sim, também vou me informar acerca do tal Jesus Cristo!"
É cristão ensinar às crianças mitos e mentiras? Deus disse: "... nem mentireis, nem usareis de falsidade cada um com o seu próximo;" (Lev 19:11). Ainda que à mente humana pareça bem e justificado, Deus, porém, disse: "Há um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte." (Prov 16:25).Estudados os fatos, vemos com assombro que o costume de celebrar o Natal, em realidade, não é costume cristão mas, sim, pagão. Ele constitui um dos caminhos da Babilônia no qual o mundo tem caído!

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A VERDADEIRA HISTÓRIA DO NASCIMENTO DE JESUS

O NASCIMENTO DE JESUS EM 25 DE DEZEMBRO:Quando Ele nasceu "... havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho." (Lucas 2:8). Isto jamais pôde acontecer na Judéia durante o mês de dezembro: os pastores tiravam seus rebanhos dos campos em meados de outubro e [ainda mais à noite] os abrigavam para protegê-los do inverno que se aproximava, tempo frio e de muitas chuvas (Adam Clark Commentary, vol. 5, página 370). A Bíblia mesmo prova, em Ct 2:1 e Ed 10:9,13, que o inverno era época de chuvas, o que tornava impossível a permanência dos pastores com seus rebanhos durante as frígidas noite, no campo. É também pouco provável que um recenseamento fosse convocado para a época de chuvas e frio (Lucas 2:1).

OS MAGOS QUE LHE TROUXERAM PRESENTES:Vejamos o que diz a Bíblia em Mateus 2:1-11 com respeito aos presentes que levaram os magos depois que Jesus nasceu. Fazendo uma simples análise deste texto, percebemos de pronto que não temos como afirmar quantos magos eram, apesar de dizerem que eram três. Nem, muito menos a “cena bucólica do presépio” retrata uma ilustração da realidade ocorrida, uma vez que o texto é claro quando diz que eles entraram na casa, e não em um estábulo, a possibilidade de um engano era impossível, por mais simples que fosse a moradia.
Mas afinal de contas, por que os Magos levaram presentes para Cristo em sua casa? Será que foi por causa do seu nascimento? De maneira nenhuma! Pois eles chegaram várias semanas ou meses depois do seu nascimento (Mateus 2:16).
Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos.
Como já dissemos, ao contrário do que mostram os presépios, a Bíblia mostra que Jesus já estava numa casa, não numa estrebaria. Então, os magos deram presentes uns aos outros para deixar-nos exemplo a ser imitado? Não! Eles não trocaram nenhum presente com seus amigos e familiares, nem entre si mesmos, mas sim presentearam unicamente a CRISTO. Por quê? No Oriente não se costuma entrar na presença de reis ou pessoas importantes com as mãos vazias. Este costume ocorre com freqüência no Antigo Testamento e ainda persiste no Oriente e até em ilhas do Pacífico Sul. Os magos não estavam instituindo um novo costume cristão de troca-troca de presentes para honrar o nascimento de Jesus Cristo. Procederam de acordo com um antigo costume Oriental que consistia em levar presentes ao rei ao apresentarem-se a ele. Eles foram pessoalmente à presença do Rei dos Judeus, profetizado precisamente pelo profeta Daniel. Portanto, levaram oferendas, da mesma maneira que a rainha de Sabá levou a Salomão, e assim como levam aqueles que hoje visitam um chefe de estado.
(*Observação minha: Onde está escrito na Bíblia que os magos eram reis?)
O costume de trocas de presentes de Natal nada tem a ver com o nascimento do Cristo de Deus, é apenas a continuação de um costume pagão.

Estudados os fatos, vemos com assombro que o costume de celebrar o Natal, em realidade, não é costume cristão mas, sim, idólatra. Ele constitui um dos caminhos da Babilônia no qual o mundo tem caído!
Para nós fica a Palavra do Senhor como aviso:
"Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas." (Ap 18:4)
Encontrei boa parte deste texto no site http://solascriptura-tt.org/Diversos/index.htm
Aconselho você a copiar este texto e colar no "word" e depois imprimir para lê-lo com calma e muita atenção.
Nós que ensinamos a Palavra de Deus aos pequeninos precisamos conhecer a verdade dos fatos!

LIÇÕES BÍBLICAS PARA CRIANÇAS - LOUVORES AO REI JESUS

Ministério Bíblico Infantil
Lições Bíblicas: Dezembro –  Domingo / 2010

Tema Central: Louvores ao Rei Jesus

TEMA: Maria e Isabel louvam ao Senhor
TEXTO-BÍBLICO:Lucas 1.26-36; Mateus 1.18-25
VERSÍCULO DO DIA: “(...) A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador ”Lucas 1.46-47
OBJETIVOS DA LIÇÃO: Ensinar as crianças que Deus tem um plano de vida abençoada para cada um de nós e que por isso devemos louvá-Lo.
INTRODUÇÃOHá muito tempo atrás, quando Deus criou o mundo, Ele fez tudo perfeito. Não existia pecado e Deus estava sempre junto com Adão. Mas... que coisa triste, Adão pecou e o pecado o separou de Deus, porque Deus não pode conviver com o pecado.
Mas Deus por amar tanto o mundo, sabe o que fez?
Ah! Ele prometeu que mandaria um Salvador para livrar os homens dos seus pecados. E desde essa época, todos esperavam esse Salvador que ninguém sabia quando viria.
DESENVOLVIMENTOIsabel era prima, de uma jovem, chamada Maria. Ela estava no sexto mês de gravidez.
Neste tempo, Deus enviou o anjo Gabriel a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré, onde a jovem Maria morava.
O anjo levava uma mensagem para Maria, que estava com o casamento marcado com um homem chamado José, descendente do rei Davi.
O anjo veio e disse:
— Que a paz esteja com você, Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está com você.Porém Maria, quando ouviu o que o anjo disse, ficou sem saber o que pensar. E, admirada, ficou pensando no que ele queria dizer.
Então o anjo continuou:
— Não tenha medo, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará.Então Maria disse para o anjo:— Isso não é possível, pois não sou casada!O anjo respondeu:— O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. Fique sabendo que a sua parenta Isabel está grávida, mesmo sendo tão idosa. Diziam que ela não podia ter filhos, no entanto agora ela já está no sexto mês de gravidez. Porque para Deus nada é impossível.Maria respondeu:— Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!E o anjo foi embora.
Que maravilha! Deus cumpriria, agora, a Sua promessa de enviar o Salvador para o mundo, e esse Salvador seria o Seu próprio Filho!
Alguns dias depois, Maria se aprontou e foi depressa para uma cidade que ficava na região montanhosa da Judéia.
Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, seu bebê se mexeu dentro de sua barriga . Então, cheia do poder do Espírito Santo, Isabel disse bem alto:
— Você é a mais abençoada de todas as mulheres, e a criança que você vai ter é abençoada também! Quem sou eu para que a mãe do meu Senhor venha me visitar?! Quando ouvi você me cumprimentar, um bebê ficou alegre e se mexeu dentro da minha barriga. Você é abençoada, pois acredita que vai acontecer o que o Senhor lhe disse.Então Maria disse:— A minha alma anuncia a grandeza do Senhor. O meu espírito está alegre por causa de Deus, o meu Salvador. Pois ele se lembrou de mim, sua humilde serva! De agora em diante todos vão me chamar de mulher abençoada, porque o Deus Poderoso fez grandes coisas por mim. O seu nome é Santo, e ele mostra a sua bondade a todos os que o temem em todas as gerações. Deus levanta a sua mão poderosa e derrota os orgulhosos com todos os planos deles. Derruba dos seus tronos reis poderosos e põe os humildes em altas posições. Dá fartura aos que têm fome e manda os ricos embora com as mãos vazias. Ele cumpriu as promessas que fez aos nossos antepassados e ajudou o povo de Israel, seu servo. Lembrou de mostrar a sua bondade a Abraão e a todos os seus descendentes, para sempre.Maria ficou mais ou menos três meses com Isabel e depois voltou para casa.
Quando José soube que sua noiva estava grávida, ficou muito confuso, por certo não acreditou que o bebê era o filho de Deus. Por isso, quis terminar o noivado sem que ninguém soubesse de nada.
Mas Deus nunca deixa os seus filhos confusos ou sem solução.
Enquanto José estava pensando em tudo o que estava acontecendo entre ele e Maria, sua noiva, acabou dormindo e um anjo do Senhor apareceu a ele num sonho e disse:
— José, descendente de Davi, não tenha medo de receber Maria como sua esposa, pois ela está grávida pelo Espírito Santo. Ela terá um menino, e você porá nele o nome de Jesus, pois ele salvará o seu povo dos pecados deles. Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor tinha dito por meio do profeta: “A virgem ficará grávida e terá um filho que receberá o nome de Emanuel.” (Emanuel quer dizer “Deus está conosco”.) (Isaías 7.14)Quando José acordou, fez o que o anjo do Senhor havia mandado e casou com Maria.
CONCLUSÃOMaria e Isabel ficaram muito felizes por terem sido escolhidas por Deus para serem mães de filhos tão especiais. Isabel seria a mãe de João Batista, ele viria antes anunciando à chegada do Salvador prometido. Já Maria seria a mãe de Jesus, o Filho de Deus, o Salvador do mundo.
Elas louvaram a Deus por fazerem parte do grande plano do amor de Deus de salvar as pessoas dos seus pecados.
TEMA: O Cântico dos Anjos e o Louvor dos Pastores
TEXTO-BÍBLICO: Lucas 2.1-20VERSÍCULO DO DIA: “Louvem o SENHOR, todos os anjos do céu, todos os seus servos, que fazem a sua vontade!” Salmo 103.21OBJETIVOS DA LIÇÃO: Aprender que Jesus é o único e verdadeiro Salvador. Nós devemos conhecê-Lo e contar para todos sobre o amor de Deus, que enviou Seu único Filho ao mundo para nos salvar.
INTRODUÇÃOQuem aqui se lembra qual o nome do casal de noivos que o Senhor Deus escolheu para serem os pais de Jesus?
Maria e José estavam muito felizes, esperando o dia em que o bebê muito especial, o Filho de Deus iria nascer.
Mas quando estava próximo disso acontecer...
DESENVOLVIMENTONaquele tempo o imperador Augusto mandou uma ordem para todos os povos do Império.
Todas as pessoas deviam se registrar a fim de ser feita uma contagem da população. Então todos foram se registrar, cada um na sua própria cidade.
Por isso José foi de Nazaré, na Galiléia, para a região da Judéia, a uma cidade chamada Belém, onde tinha nascido o rei Davi. José foi registrar-se lá porque era descendente de Davi e levou consigo Maria, sua esposa.
Quando lá chegaram, Maria, por certo, devia estar muito cansada da viagem longa, e porque estava nos dias de ganhar o bebê, então, foram procurar uma pensão onde pudessem ficar. (Explique para as crianças bem pequenas que pensão é tipo um hotel bem simples.)
Mas, Maria e José tiveram grande dificuldade, não encontrando nem lugar para passar a noite, pois a cidade estava muito cheia de gente.
O dono de uma pensão ofereceu um lugar para eles passarem a noite: uma estrebaria (local onde os animais ficavam).
Naquela noite, aconteceu que chegou o tempo de Jesus, o Salvador do mundo, nascer.
Então Maria deu à luz o seu primeiro filho. Enrolou o menino em panos e o deitou numa manjedoura (que é o lugar onde se coloca comida para os animais comerem), pois não havia lugar para eles na pensão.
Naquela região havia pastores que estavam passando a noite nos campos, tomando conta dos rebanhos de ovelhas.
Então um anjo do Senhor apareceu, e a luz forte e gloriosa do Senhor brilhou por cima dos pastores.
Eles ficaram com muito medo, mas o anjo disse:
— Não tenham medo! Estou aqui a fim de trazer uma boa notícia para vocês, e ela será motivo de grande alegria também para todo o povo! Hoje mesmo, na cidade de Davi, nasceu o Salvador de vocês — o Messias, o Senhor! Esta será a prova: vocês encontrarão uma criancinha enrolada em panos e deitada numa manjedoura.No mesmo instante apareceu junto com o anjo uma multidão de outros anjos, como se fosse um exército celestial. Eles cantavam hinos de louvor a Deus, dizendo:— Glória a Deus nas maiores alturas do céu! E paz na terra para as pessoas a quem ele quer bem!Quando os anjos voltaram para o céu, os pastores disseram uns aos outros:— Vamos até Belém para ver o que aconteceu; vamos ver aquilo que o Senhor nos contou.Eles foram depressa, e encontraram Maria e José, e viram o menino deitado na manjedoura.
Então contaram o que os anjos tinham dito a respeito dele. Todos os que ouviram o que os pastores disseram ficaram muito admirados.
Maria guardava todas essas coisas no seu coração e pensava muito nelas.
Então os pastores voltaram para os campos, cantando hinos de louvor a Deus pelo que tinham ouvido e visto. E tudo tinha acontecido como o anjo havia falado.
CONCLUSÃOOs anjos e os pastores louvaram a Deus; os pastores ficaram muito agradecidos a Deus pelo presente, que era Jesus.
Era a promessa de Deus se cumprindo. Jesus tinha nascido! O Salvador do mundo. Por causa Dele, podemos ficar tranqüilos, pois Ele é Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz! (Isaías 9.6)
Assim, nós também devemos sempre agradecer a Deus e louvá-Lo por Jesus. Porque Jesus foi o presente de Deus para nós
!


TEMA: O Louvor de Simeão e Ana
TEXTO-BÍBLICO: Lucas 2.21-39VERSÍCULO DO DIA: “..., louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” Colossenses 3.16OBJETIVOS DA LIÇÃO: Aprender que Deus sempre cumpre as suas promessas na nossa vida e que devemos louvar o Seu nome por isso.
INTRODUÇÃOVocês se lembram o que aprendemos na lição bíblica da semana passada?
Vimos quantas pessoas se alegraram e louvaram a Deus porque Jesus, o Salvador, havia nascido: Maria, José, os Anjos, os Pastores.
Pois hoje vocês vão saber de mais duas pessoas que adoraram e louvaram a Deus quando conheceram Jesus.
DESENVOLVIMENTOQuando o bebê completou oito dias de nascido, Maria e José puseram nele o nome de Jesus, pois este era o nome que o anjo Gabriel tinha dito que o bebê deveria receber, antes mesmo dele nascer. Depois O levaram ao Templo que ficava em Jerusalém, a fim de apresentá-Lo ao Senhor.
Apesar de ser, o Filho de Deus, Jesus era judeu. Por isso, Maria e José tinham que fazer tudo o que a Lei de Moisés mandava.
A Lei do Senhor dizia:
“Todo primeiro filho será separado e dedicado ao Senhor.”
Eles foram lá também para oferecer em sacrifício duas rolinhas ou dois pombinhos, como a Lei do Senhor manda.
Em Jerusalém morava um homem chamado Simeão. Ele era bom e piedoso e esperava a salvação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele, e o próprio Espírito lhe tinha prometido que, antes de morrer, ele iria ver o Messias enviado pelo Senhor. Guiado pelo Espírito, Simeão foi ao Templo.
Quando os pais chegaram com o menino Jesus ao Templo para fazer o que a Lei manda, encontraram com Simeão.
No momento em que Simeão viu o bebê, ele ficou muito, mas muito feliz mesmo! Como ele havia esperado por aquele dia!
Então, Simeão se aproximou de Maria e José, pediu-lhes permissão para pegar o bebezinho no seu colo e começou a louvar a Deus dizendo assim:
— Agora, Senhor, cumpriste a promessa que fizeste e já podes deixar este teu servo partir em paz. Pois eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel.O pai e a mãe do menino ficaram admirados com o que Simeão disse a respeito dele.
Depois de apresentar e entregar aquela criança a Deus, para que Ele a protegesse o menino durante toda a Sua vida. Simeão entregou o bebê a sua mãe e abençoou aquela família. Ele disse a Maria sobre coisas que Jesus iria fazer no futuro:
— Este menino foi escolhido por Deus tanto para a destruição como para a salvação de muita gente em Israel. Ele vai ser um sinal de Deus; muitas pessoas falarão contra ele, e assim os pensamentos secretos delas serão conhecidos. E a tristeza, como uma espada afiada, cortará o seu coração, Maria.Havia também, naquele Templo, uma profetisa, chamada Ana, que era viúva e muito idosa.
Sete anos depois que ela havia casado, o seu marido morreu. Agora ela estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações.
Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
Você também pode ser uma criança que serve e louva o Senhor como Simeão e Ana.
Fale de Jesus para seus amigos, parentes, vizinhos e louve ao Senhor com muita alegria no seu coração.
Quando terminaram de fazer tudo o que a Lei do Senhor manda, José e Maria voltaram para a Galiléia, para a casa deles na cidade de Nazaré.
CONCLUSÃOSimeão acreditou na promessa de Deus, esperou e viveu para ver o dia em que Deus decidiu cumpri-la. Naquele dia especial, marcado pelo Senhor Deus, Simeão viu a promessa cumprida, bem ali na sua frente.
A profetisa Ana também viu o Salvador prometido e não guardou aquela notícia somente para si, mas começou a falar para todos sobre o nascimento de Jesus.
Aquele foi um dia inesquecível para Simeão e Ana.


TEMA: Os Sábios Louvam ao Rei Jesus com seus Presentes
TEXTO-BÍBLICO: Mateus 2.1-11VERSÍCULO DO DIA: “Venham, fiquemos de joelhos e adoremos o SENHOR. Vamos nos ajoelhar diante do nosso Criador.” Salmo 95.6OBJETIVOS DA LIÇÃO:Ensinar que assim como os sábios, nós devemos buscar Jesus até encontrá-Lo e oferecer sempre a Ele o nosso melhor.
INTRODUÇÃOVocês sabiam que quando as crianças nascem elas recebem muitas visitas?
Todos querem conhecer o bebê que nasceu depois de ser esperado por tanto tempo!
Os avós, os tios, enfim todos os parentes, os vizinhos, os amigos... e quem mais quiser conhecer aquele “presente” lindo que chegou ao mundo.
Muitos desses visitantes trazem presentes para a criança que acabou de nascer.
O mesmo aconteceu com o menino Jesus quando Ele nasceu. Nós já vimos que os anjos vieram do céu e anunciaram o nascimento de Jesus aos pastores que cuidavam das ovelhas no campo e eles foram lá visitá-Lo.
Mas, depois que o menino Jesus cresceu um pouquinho recebeu outros visitantes. Vamos ver?
DESENVOLVIMENTOJesus nasceu na cidade de Belém, na região da Judéia, quando Herodes era rei da terra de Israel.
Numa terra muito distante dali, no Oriente, havia alguns homens sábios que estudavam as estrelas.
(Atenção: A Bíblia não diz em Mateus 2.1 o número de magos que foram visitar o Senhor Jesus, por isso não caia no erro de ensinar as crianças dizendo assim “os três reis magos...”, pois a Bíblia também não declara se eles eram reis. A palavra magos ,utilizada no texto, pode equivaler para nós hoje como astrônomos, que são aquelas pessoas que estudam os movimentos do Universo. Mas, para que fique bem fácil para as crianças menores entenderem usamos alguns homens sábios que estudavam as estrelas.)Depois que Jesus nasceu, Deus lhes mostrou uma nova estrela que surgiu no céu, que uma pessoa muito especial havia nascido.
Assim, saíram de sua terra e foram adorar Aquele a quem nem conheciam.
Depois de muito viajar, os sábios chegaram em Jerusalém, onde reinava o rei Herodes. Ali perguntaram ao povo:
— Onde está o menino que nasceu para ser o rei dos judeus? Nós vimos a estrela dele no Oriente e viemos adorá-lo.Quando o rei Herodes soube disso, ficou muito preocupado, e todo o povo de Jerusalém também ficou.
O povo ficou muito surpreso, pois apesar de estar esperando o Salvador que Deus prometera há muito tempo atrás, não sabia de nada. Logo que o rei Herodes soube do que os sábios estavam falando, não gostou nada da idéia. Imaginem, um novo rei para Israel? Ah! Ele ficou muito preocupado e preparou um plano para acabar com Aquele menino, que segundo os sábios, seria um rei.
Sem demora, Herodes reuniu os chefes dos sacerdotes e os mestres da Lei e perguntou onde devia nascer o Messias. Eles responderam:
— Na cidade de Belém, na região da Judéia, pois o profeta escreveu o seguinte:“Você, Belém, da terra de Judá, de modo nenhum é a menor entre as principais cidades de Judá, pois de você sairá o líder que guiará o meu povo de Israel.” (Miquéias 5.2)Olhem só crianças! Deus já havia dito até onde o Salvador nasceria. Deus realmente não mente e podemos confiar na Sua Palavra, que está na nossa Bíblia.
Então Herodes chamou os visitantes do Oriente para uma reunião secreta e perguntou qual o tempo exato em que a estrela havia aparecido; e eles disseram. Depois os mandou a Belém com a seguinte ordem:
— Vão e procurem informações bem certas sobre o menino. E, quando o encontrarem, me avisem, para eu também ir adorá-lo.Vocês acham que ele realmente queria adorar a Jesus? Claro que não! Ele queria matá-Lo. Ele tinha medo de perder o trono para outra pessoa.
Depois de receberem a ordem do rei, os visitantes foram embora.
Quando os sábios estavam a caminho de Belém, viram a estrela, a mesma que tinham visto no Oriente.
Ela foi adiante deles e parou acima do lugar onde o menino estava. Quando viram a estrela, eles ficaram muito alegres e felizes.
Entraram na casa e encontraram o menino com Maria, a sua mãe. Então se ajoelharam diante dele e o adoraram. Depois abriram os seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra
. (Muito cuidado quando ensinar esta lição para não ilustrá-la ou preparar atividades contendo desenho de Jesus na manjedoura e os magos presenteando-O. A verdade é que os magos não visitaram Jesus na noite do seu nascimento, mas sim, os pastores, porque os magos levaram um determinado tempo viajando e entregaram os presentes ao menino Jesus quando Ele já estava em casa. Leia Mateus 2.11)Os sábios ofereceram presentes caros a Jesus. Hoje Jesus não deseja que Lhe ofereçamos algo muito caro. O presente que Ele deseja receber de nós é a nossa própria vida, o nosso coração.
Quem deseja entregar sua vida para Jesus hoje?

CONCLUSÃODurante este mês, nós aprendemos sobre a maravilhosa história do nascimento de Jesus.
Ficou sabendo como Jesus foi louvado e adorado por muitos: José, Maria, Isabel, pelos Anjos, Pastores, Simeão, Ana, os Sábios do Oriente.
Crianças, vocês gostariam de se unir a todas essas pessoas e louvar a Deus também pelo nascimento de Jesus, nosso Salvador?
Você pode fazer isso de muitas maneiras.
Você pode louvá-Lo com cânticos.
Você pode louvá-Lo com ofertas.
Você pode louvá-Lo com atitudes.
Você pode louvá-Lo com palavras.
Os anjos cantaram um lindo hino; os pastores O adoraram com orações e falaram dele aos outros. Os sábios do Oriente louvaram com seus presentes.
Quantas maneiras de louvar o Salvador Jesus!
Você pode louvar a Jesus em sua casa, sozinho, no seu quarto.
Pode louvá-Lo na igreja. Pode louvá-Lo enquanto está num ônibus, num carro, ou mesmo andando pela rua.
Você pode louvar a Jesus até quando está brincando. Afinal é Ele quem te dá saúde. Foi Ele quem criou os pés para correr, olhos para enxergar, ouvidos para ouvir e boca para falar.
Jesus verdadeiramente merece todo nosso louvor!!!

aSUGESTÕES PARA ESTA LIÇÃO:No último domingo (27/12) realize com a sua turma a “CEIA DO AGRADECIMENTO”.Durante os domingos anteriores anuncie a Ceia e prepare um convite para ser entregue aos responsáveis pedindo que cada um traga um prato para colaborar.
Para este dia capriche no preparo da aula, afinal será a última aula deste ano de 2009!
Sugestões para que esta aula seja muito especial:rPrepare uma toalha bem bonita, para colocar sobre a mesa onde será colocado o lanche;rEnfeite a sala com bolas de festa coloridas;rSe for possível, prepare uma lembrancinha para cada criança;rTraga canções e DVD que falem sobre o “Nascimento de Jesus”.rNesta última aula você poderá realizar um AMIGO SECRETO de cartões que eles farão durante a aula e presentearão o amigo que tirarem no sorteio.

"Cantai louvores a Deus, cantai louvores; cantai louvores ao nosso Rei, cantai louvores." Salmo 47.6

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

JESUS ANDA SOBRE AS ÁGUAS_2 VISUAIS PARA COLORIR


Com estes desenhos dá para preparar visuais para ensinar a Palavra para as crianças e também utilizá-los para preparar atividades diversas.

Jesus Anda sobre as Águas_visuais para colorir


JESUS ANDA SOBRE AS ÁGUAS_ATIVIDADE DE DOBRADURA

Nesta atividade as crianças deverão colorir e depois dobrarem a parte "A" e a parte "B" até a marca que está no meio e então farão com que Jesus se aproxime dos discípulos no meio do mar. Atividade bem legal!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

FIGURAS DE CRIANÇAS ORANDO










É interessante ampliar essas figuras para decorar a sala de aula, preparar cartazes colocando versículos bíblicos que falem sobre a oração.

SALMO 103.3

terça-feira, 10 de novembro de 2009

LIÇÕES BÍBLICAS PARA CRIANÇAS - SÉRIE: MILAGRES DE JESUS

Escola Bíblica Infantil
Lições Bíblicas: Novembro – Domingo /2009
Tema Central: OS MILAGRES DE JESUS CRISTO



TEMA: JESUS ABENÇOA UM CASAMENTOTEXTO-BÍBLICO: João 2.1-11
VERSÍCULO DO DIA: “... Eis que faço novas todas as coisas...”Ap. 21.5OBJETIVOS DA LIÇÃO: Aprender que assim como Jesus transformou água em vinho, pode transformar o coração dos nossos familiares.
INTRODUÇÃOQuem aqui já foi a uma festa de casamento? A noiva estava bonita? E o noivo?
Certa vez, Jesus foi convidado para ir a um casamento, numa cidade chamada Caná. Ele levou seus discípulos e sua mãe. Nesse casamento houve uma grande festa. Todos deviam estar muito alegres!

DESENVOLVIMENTOTudo estava indo muito bem até que no meio da festa aconteceu algo muito ruim... O vinho acabou!
Seria uma vergonha para a família dos noivos, mas o que fariam?
Quando Maria, mãe de Jesus, ficou sabendo do problema, mais que depressa procurou Jesus e lhe contou o que estava acontecendo. Ela sabia que Ele poderia resolver qualquer problema.
Precisamos aprender que, quando temos alguma dificuldade, devemos procurar a pessoa certa que pode nos ajudar, e essa pessoa é Jesus.
Maria confiava que Jesus pode fazer algo para ajudar os donos da festa. Ela confiava que Jesus podia dar tudo o que a gente precisa.
Maria disse aos garçons da festa:
- Façam o que Ele mandar.
Ali perto estavam seis potes bem grandes e Jesus mandou os empregados pegarem aqueles potes e encherem de água, até a boca. Os empregados obedeceram a ordem de Jesus e encheram os potes.
Depois, Jesus deu outra ordem aos empregados: “Agora tirem um pouco de água destes potes e levem ao chefe dos garçons da festa.”
Eles levaram; o chefe dos garçons provou a água, e uma coisa maravilhosa havia acontecido: Imaginem vocês a água virou vinho!
O chefe dos garçons não sabia o que havia acontecido e achou aquele vinho muito bom, bem melhor do que os outros vinhos que já haviam sido servidos.
Jesus transformou a água em vinho!
Um milagre foi feito, porque todos obedeceram às ordens de Jesus. Quando há obediência, o Senhor Deus fica contente e opera milagres através do seu Filho, Jesus.
Os convidados puderam beber à vontade, e todos ficaram felizes novamente.
A festa não precisou acabar antes do horário, e nem os noivos ficaram tristes porque Jesus com a sua bondade realizou o milagre da transformação da água em vinho. Quando Jesus está perto de nós tudo se resolve! Jesus tem poder para transformar todas as coisas!

CONCLUSÃOEste foi o primeiro milagre de Jesus, e os Seus discípulos creram Nele por causa desse milagre. Nós, também, podemos crer Nele, pois Ele, ainda hoje, faz milagres!

TEMA:JESUS ABENÇOA OS PESCADORESTEXTO-BÍBLICO:Lucas 5.1-11VERSÍCULO DO DIA:
“Ponha a sua vida nas mãos do SENHOR, confie nele, e ele o ajudará.”Salmo 37.5
OBJETIVOS DA LIÇÃO:Ensinar as crianças que a obediência a Palavra de Deus resulta em bênçãos para nossa vida e que a presença de Jesus em nossa vida nos transforma de pecadores para filhos de Deus.
INTRODUÇÃONa Bíblia tem uma história muito interessante sobre a vida de uns amigos: Pedro, Tiago e João, que viviam num lugar chamado Galiléia. Eles eram pescadores e trabalhavam ali mesmo num lago próximo.

DESENVOLVIMENTOUm dia, enquanto lavavam suas redes de pescar, observavam uma multidão enorme disputando um lugar na praia só para ouvir as palavras de Jesus. De repente, Jesus entrou num dos barcos, o de Pedro (explique as crianças que Simão depois veio a ser chamado por Jesus de Pedro), e pediu que ele o afastasse um pouco da praia. Então, sentou-se e começou a ensinar a Palavra de Deus a multidão.
Logo os pescadores perceberam porque aquela multidão queria ouvi-lo. As palavras ditas por aquele homem eram realmente maravilhosas, eram diferentes.
Quando terminou de ensinar à multidão, Jesus ordenou à Pedro:
- Leve o barco para um lugar onde o lago é bem fundo. E então você e os outros pescadores joguem as redes para pescar.
Quando ouviu aquilo, Pedro respondeu:
- Mestre, trabalhamos a noite toda e não pescamos nada. Mas, já que o Senhor está mandando jogar as redes, eu vou obedecer.
Pedro tinha apenas que confiar e obedecer à ordem de Jesus. Era necessário que confiasse no Senhor Jesus. Foi preciso ter muita fé para Pedro obedecer à ordem de Jesus; mas, deixando de lado o seu costume de fazer as coisas, ele obedeceu.
E, para surpresa deles, foi só jogar as redes na água e, em seguida, puxá-las. Enquanto lutavam com as pesadas redes, os pescadores se admiraram com o que estava acontecendo!
Eram tantos peixes que as redes estavam quase arrebentando!!! Tiveram que pedir ajuda aos companheiros de outro barco.
Mesmo assim, a quantidade de peixes era tão grande que os dois barcos quase afundaram.
Deus abençoou os pescadores pela sua fé e obediência, dando a eles mais peixes do que precisavam.
Pedro caiu de joelhos admitindo seu pecado diante do Senhor Jesus. Este milagre era toda a evidência que Pedro necessitava. Ao ver Jesus como perfeito Senhor, Pedro, reconheceu que sua vida era totalmente pecaminosa em comparação a Dele.
Todos os pescadores ficaram espantados com a pesca que haviam feito. Jesus disse a eles que não temessem, pois dali em diante seriam “pescadores de homens”. Jesus estava chamando aqueles homens para uma vida de serviço e obediência especiais a Ele, muito além de qualquer coisa que já haviam conhecido.
Os pescadores largaram tudo e seguiram Jesus.

CONCLUSÃOPedro acreditou na palavra de Jesus e obedeceu, fazendo assim como o Senhor havia mandado. Pedro foi abençoado e teve uma pesca maravilhosa.
Nós também precisamos ouvir a Palavra de Deus e colocá-la em prática. Fazendo assim receberemos muitas bênçãos de Deus nas nossas vidas.

TEMA:JESUS CURA O CEGO BARTIMEUTEXTO-BÍBLICO:
Marcos 10.46-52, Lucas 18.35-43
VERSÍCULO DO DIA: “O Senhor perdoa todos os meus pecados e cura todas as minhas doenças;” Salmo 103.3
OBJETIVOS DA LIÇÃO: Saber que o Senhor Jesus tem poder para curar qualquer enfermidade.INTRODUÇÃOHoje vamos iniciar esta lição bíblica de maneira bem diferente. Acomode as crianças em semicírculo. Prepare uma colcha e uma canequinha com algumas moedinhas. Você estará fazendo o papel de Bartimeu, para a história ficar mais interessante. Quando for imitar Bartimeu, feche os olhos.
Inicie a história assim: Coloque a colcha sobre os ombros, como se fosse uma capa e segure a canequinha e diante da turma ande dizendo:
- Uma esmola, uma esmolinha, por favor! (Faça uma voz diferenciada para Bartimeu e chacoalhe a caneca de moedas.)Vamos conhecer na história de hoje um homem que não podia enxergar. O mundo para ele era sempre mais escuro que a noite mais escura, porque ele era cego!

DESENVOLVIMENTOCerta vez, Jesus estava saindo de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão o seguia.
À beira da estrada, onde Jesus passava, estava sentado um homem cego e mendigo, seu nome era Bartimeu, filho de Timeu.
Bartimeu percebeu que uma grande multidão se aproximava, por causa do barulho que as pessoas faziam. Ele ficou curioso e perguntou para algumas pessoas que estavam perto dele o que estava acontecendo por ali e lhe disseram que era Jesus que passava ali.
Certamente o cego Bartimeu já tinha ouvido falar dos grandes milagres que Jesus realizava. Então, ele não pensou muito e pôs-se a clamar por Jesus:
-Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!Bartimeu gritava tanto e tão alto que as pessoas ficaram nervosas e brigaram com ele mandando que se calasse, mas Bartimeu, não podia deixar passar a oportunidade de encontrar-se com Jesus, pois sabia que certamente passaria enxergar, por isso, clamava ainda mais alto:
-Filho de Davi, tem misericórdia de mim!De repente a multidão parou de andar. Jesus parou e mandou que chamassem Bartimeu.
O pobre cego Bartimeu ficou muito feliz, pois logo lançou de sobre si a sua capa de mendigo e foi ao encontro de Jesus.
Jesus amava Bartimeu. Ele sabia que o cego estava ali, naquela enorme multidão, necessitando da Sua ajuda. Ele ama também a vocês e a mim. Foi Ele quem nos fez e sabe tudo sobre cada um de nós: a cor dos nossos olhos, se somos altos ou baixos, Ele sabe até o que cada um de vocês está pensando agora!
Assim que Bartimeu se aproximou de Jesus, o senhor lhe perguntou:
-O que você deseja?O que mais Bartimeu poderia querer, ele prontamente respondeu:
-Mestre, que eu possa ver.No mesmo instante, Jesus disse:
-Vai, a tua fé te salvou.O que vocês acham que aconteceu com Bartimeu?
Ele ficou curado! Na mesma hora Bartimeu pôde ver o rosto de Jesus. Quanta alegria ele sentiu!
Bartimeu recebeu o seu milagre e passou seguir Jesus pelo caminho.

CONCLUSÃOJesus não se recusou a falar com Bartimeu. Ele parou e o escutou. Através das suas orações, fale com Jesus, saiba que Ele te ouvirá. Portanto, não desista e insista como fez Bartimeu. E se por algum motivo, Deus não lhe der algo que você pedir, é porque Ele quer dar algo melhor para você. Portanto, não fique triste, confie no Senhor! Pois Ele tem as melhores coisas para a sua vida e sabe o momento certo de lhe dar uma bênção.

TEMA:JESUS ANDA SOBRE AS ÁGUASTEXTO-BÍBLICO:
Mateus 14.22-34, Marcos 6.45-51
VERSÍCULO DO DIA: “Não fiquem com medo, pois estou com vocês; não se apavorem, pois eu sou o seu Deus. Eu lhes dou forças e os ajudo; eu os protejo com a minha forte mão.”Isaías 41.10
OBJETIVOS DA LIÇÃO: Mostrar as crianças que não devemos ter medo de nada, pois Jesus está sempre nos protegendo e nos guardando.INTRODUÇÃOCom certeza todos nós já sentimos medo, pois este é um sentimento comum a todas as pessoas. Contudo, a cada dia, precisamos vencê-lo pela fé. Pedro, discípulo de Jesus, passou por um desses momentos. Vamos conhecê-lo?

DESENVOLVIMENTOJesus mandou que seus discípulos entrassem no barco, sozinhos, e atravessassem o mar.
Jesus despediu-se da multidão e subiu a um monte, para orar. Ele ficou ali até de madrugada.
Enquanto isso, o barco dos discípulos já estava no meio do mar, e veio um vento forte. O vento começou a levantar as ondas bem alto. Os discípulos começaram a ficar preocupados, pois Jesus não estava com eles.
Embora estivesse orando no monte, bem distante, Jesus viu os discípulos lutando contra a tempestade (Marcos 6.48), e sabia que estavam com medo.
A certa hora da noite, os discípulos, no meio daquela forte tempestade, viram alguém andando por cima da água. Já imaginou o susto que levaram? Eles gritaram:
- É um fantasma! E ficaram apavorados.Então do meio daquelas ondas, eles ouviram uma voz maravilhosa que dizia:
- Coragem, sou Eu, não tenham medo.Ufa! Que alívio! É tão bom saber que Jesus está sempre por perto.
Pedro, um dos discípulos, disse:
- Se é mesmo o Senhor, mande-me andar por cima da água, até onde o Senhor está.Jesus respondeu:
- Venha!E Pedro, foi em direção a Jesus. Mas quando viu o vento forte, as ondas altas, ficou com medo e começou a afundar. Então, gritou para Jesus:
- Senhor, salva-me!Jesus o pegou pela mão, e disse:
- Como a sua fé é pequena, porque você duvidou?Eles voltaram juntos para o barco, e o vento acalmou.
Depois disso, os discípulos adoraram a Jesus dizendo:
- De fato, o Senhor é o Filho de Deus.

CONCLUSÃONão olhando mais para Jesus, Pedro começou a afundar e a gritar por socorro. Enquanto Pedro prestou atenção em Jesus, teve fé e confiança que Ele não o deixaria afundar. Ele creu no poder de Jesus! Mas quando começou a prestar atenção na força do vento, isso fez com que sua fé enfraquecesse e que o medo entrasse em seu coração. A Bíblia diz que sem fé é impossível agradar a Deus!
A falta de fé é prova de desconfiança, e Deus quer que confiemos Nele firmemente. Pedro afundou porque perdeu a fé.
Se olharmos para as dificuldades que vamos enfrentar para alcançar o nosso objetivo podemos, como Pedro, iniciar nosso caminho, mas certamente afundaremos também.
Vencemos o medo olhando para Jesus, ou seja, crendo Nele.

TEMA:JESUS DÁ NOVA VIDA A MATEUSTEXTO-BÍBLICO:
Mateus 9.9-13, Marcos 2.13-17, Lucas 5.27-32
VERSÍCULO DO DIA:“Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo.” 2ª Coríntios 5.17
OBJETIVOS DA LIÇÃO:Ensinar as crianças que o maior milagre que Jesus pode fazer em nossas vidas é nos dar a salvação, uma nova vidaINTRODUÇÃOMateus era um cobrador de impostos, uma classe muito mal vista por todos. Que surpresa quando Jesus o chamou para ajudá-lo! Mateus seguiu o chamado do Mestre e trabalhou muito. Que tal conhecermos essa história tão bonita e aprendermos a trabalhar cada dia mais para nosso Senhor?

DESENVOLVIMENTOJesus andou por muitos lugares e por onde passava, fazia muitos milagres.
Certa vez, Ele tinha acabado de operar um milagre e viu um publicano chamado Mateus (também chamado de Levi).Você sabe o que era um publicano? Publicano era um tipo de cobrador de impostos, como um caixa de supermercado, só que ficava na rua recebendo o dinheiro das pessoas.
Mas havia um problema: os publicanos faziam coisas erradas, pegavam dinheiro a mais do que deviam, roubando o que era do povo. Eles eram vistos como pessoas más e quase ninguém gostava deles!
Você chamaria para te ajudar alguém que fizesse coisas erradas? (Aguarde respostas das crianças.)Quando Jesus viu Mateus, simplesmente disse:
- Segue-me!Para quê Jesus chamou aquele homem? Como já aprendemos o Mestre tinha alguns discípulos. Esses discípulos trabalhavam muito para Jesus, onde o Mestre estava, eles também iam, eram os seus ajudantes. Jesus estava chamando Mateus para ser um deles!
Veja bem, Mateus era um homem que tinha feito coisas erradas, certamente ele deve ter pensado:
“Será que eu posso ser amigo de Jesus?”
E será que ele ouviu o chamado do Senhor? Claro que sim!
Mateus viu que Jesus precisava de sua ajuda, e que se não soubesse fazer alguma coisa, aprenderia!
Então se levantou imediatamente para segui-lo e até ofereceu um banquete em sua casa para festejar junto com o Mestre!
Todos se sentaram à mesa e comeram juntos! Muitos dos que estavam com Jesus não aceitavam aquilo tudo, e diziam:
- Como o Senhor pode chamar e ficar junto de um homem que fez coisas erradas?Mas Jesus é justo e bom, e respondeu:
- As pessoas erradas também precisam de mim! Eu vim para salvá-las!Com isso tudo, as pessoas viram que o Mestre não deixava ninguém de fora!
Depois daquele banquete maravilhoso, Mateus começou a trabalhar para Jesus, aprendeu a só fazer coisas boas e tornou-se um grande amigo do Mestre!

CONCLUSÃOO povo não gostava de Mateus por causa das coisas erradas que ele fazia, mas Jesus mostrou a Mateus e aos que estavam ao Seu redor que Ele o via como uma pessoa de muito valor, como alguém que podia ser completamente transformado quando recebesse o perdão de Deus.
O Senhor Jesus não se importava com os pecados que Mateus tinha cometido e nem o que as outras pessoas pensavam dele.
Jesus, o Filho perfeito de Deus, apresentou o grande amor de Deus a Mateus e ele o recebeu em sua vida. Assim, Mateus tornou-se um novo homem, obediente a palavra de Deus.
Vamos ler o que diz 2ª Coríntios 5.17?

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A 1ª PESCA MARAVILHOSA_DESENHOS




Esses desenhos me foram dados por uma irmã muito abençoada chamada Antonilma. Mulher de fé! Deus te abençoe!!!

POSTAGENS MAIS VISITADAS